Descartes deu o mote. A filosofia deste deste espaço é antes de mais dedicado ao sonho, às duvidas existênciais à escrita e ao prazer da leitura, um blog onde a actualidade não pode deixar de estar presente.



translator 翻訳 Переводчик

C V - Contador de visitas

contador de visitas para blog

SABEM O QUE É O COLTAN?


A pergunta é simples, a resposta nem por isso; meio mundo ignora pura e simplesmente, e por isso não deixa de ser inquietante esta temática, sobretudo quando sabemos e nada se faz.


Naturalmente que a esmagadora maioria de nós desconhece ou então não se preocupa com certo tipo de coisas; queremos apenas saber da nossa vida e pouco mais, e por isso todos somos responsáveis ao não nos preocuparmos com o mal que grassa na casa do nosso vizinho.
A preocupação geral é mais de outro género; consumir tudo o que é novo sem fazer perguntas, para quê preocuparmo-nos com isto... Apenas temos que nos concentrar em comprar o último grito da tecnologia, e, esse acto é o clic que falta, é como a adrenalina que as grandes companhias necessitam para conseguir o produto chave, um bem raro na natureza que dá pelo nome de COLTAN .

Resulta da  mistura de dois minerais: a columbita e a tantalita; este último é sendo um metal altamente resistente termicamente tendo simultaneamente propriedades que possibilitam a sua utilização, eletro-magnética e altamente corrosiva e por isso possuindo enorme potencial como hiper-condutor fundamental para o avanço tecnológico da comunicação portátil assim como uma vasta panóplia da moderna tecnologia que hoje em dia dispomos.

Segundo consegui apurar as Nações Unidas, chegaram a números completamente desconcertantes, mais de quatro milhões de vítimas desta guerra, tem como palco o riquissimo território Congolês apesar disso as populações vivem na mais completa miseria.


Uganda e Ruanda beneficiários directos desta guerra ocupam militarmente a Republica Democrática do Congo (parcialmente) sobretudo os locais onde há interesses económicos, numa guerra sangrenta desde Agosto de 1998.  (E o mundo continua calado cobardemente…) a ver... a disputa pelo Colton;


Sabe-se que ambas as nações ocupantes lucram milhões com a sua venda. As nações Unidas declarou a propósito que existe uma faturação de cerca de  US $250 milhões, facturado directamente pelo Exército Ruandês às grandes companhias e que se saiba não há minas no Ruanda, lucram directamente com a guerra.


Para além deste verdadeiro holocausto do ponto de vista humano, a mineração de columbita-tantalita provoca grandes impactos no meio-ambiente tropical do Congo, uma vez que não se tomam as devidas medidas de mitigação ambiental (facto óbvio no meio de uma região em guerra) além das minas se encontrarem próximas e algumas dentro de parques nacionais, tendo directamente impacto na fauna onde os gorilas são abatidos de forma impiedosa a par dos elefantes.

Essa corrida tem que acabar, e dá-se cada vez que compramos um novo computador, uma maquina fotográfica, ou trocamos o telemóvel velho por aquele que todos têm… e assim por diante.

As principais marcas que todos conhecemos destes equipamentos tudo fazem para o obter, seja em que condições for… nem que para isso se mate ou se perpetue uma guerra.

A Republica Democrática do Congo detém cerca de oitenta por cento das reservas deste raro minério, os restantes vinte por cento encontram-se fragmentados pelas américas e Australia.

 Por via disso assim permanece em guerra muito por culpa das nações vizinhas que não hesitam em comercializa-lo sem pudor, extraindo-o servindo-se das populações ou mesmo dos prisioneiros da guerra, caso para dizer, maldito OURO CINZENTO, que é extraído das minas sobretudo por crianças e guardadas por crianças. Em consequência de tudo isto, como é uma actividade extremamente lucrativa. Os camponeses abandonam os campos e dedicam-se a esta espécie de garimpagem, transformando os solos férteis em autenticos lamaçais onde o sangue suor e lagrimas se misturam.




Será que vale a pena? Essa é a verdadeira questão que nos deve fazer reflectir, e porque não se reutiliza em vez de irem parar ao lixo estes equipamentos, fica a pergunta no ar.


Nota: Todas as imagens são de autores desconhecidos e foram retirados da internet para ilustrar o texto.


Bibliografia consultada:


Jornal El Pais, http://elpais.com/diario/2007/09/26/futuro/1190757604_850215.html


e este importante Video PulitzerCenter que nos mostra quase tudo sobre a barbarie:

5 comentários:

  1. António,
    Ótimo e importante texto. Pretendo fazer uma pesquisa sobre isso e publicar em meu blogue também. Abraços, JAIR.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá amigo Jair

      Esse é o objectivo, difundir para alertar consciencias

      Grande abraço

      Eliminar
  2. este post,merece ser leído por MUCHAS PERSONAS!...el mundo está inquieto, en mi país, tambien, NO SE LES PAGA A MAS DE 550MIL TRABAJADORES SU SALARIO, hay paros del tipo que pienses, aprietes de la JEFA LA KRIS K,QUE DE PROGRE,NO TIENE UN PELO,DE SU CABELLO, es un fascismo modernoso, donde no podemos salir del país,sin PERMISO,SIN AVISAR DONDE VAMOS, A QUE VAMOS, POR QUE QUEREMOS DOLARES,ETC ETC...TAMPOCO cobran sus pensiones, en moneda extranjera,los mas de 80.000 que se refugiaron,en esta tierra, NO SE LES PERMITE, LA MONEDA EXTRANJERA...HAY HAMBRE!!!!, estiMADO AMIGO!
    MUCHAS GRACIAS POR ESTE POST!
    un abrazo,desde la suramerica
    lidia-la escriba

    blog actualizado,x si quieres comentar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hola querida amiga Lidia

      Gracias por tus palabras y por su advertencia. Totalmente conscientes de esta realidad, la Argentina, el mundo realmente es completamente irregular, no respetan los más elementales derechos de las personas, tales como la libre circulación de personas y mercancías es una opresión que sólo terminan luchando contra ella. Artistas como Lidia tener voz y voto. Un besazo y mucho coraje para esta lucha que los pueblos del mundo se estrellará.

      besos

      Eliminar
  3. eu me importo com oque acontece no meu visinho sim...

    ResponderEliminar

Contacto por correio electrónico

Antoniogallobar@sapo.pt