Descartes deu o mote. A filosofia deste deste espaço é antes de mais dedicado ao sonho, às duvidas existênciais à escrita e ao prazer da leitura, um blog onde a actualidade não pode deixar de estar presente.



translator 翻訳 Переводчик

AMÁLIA RODRIGUES

DEZ ANOS DE SAUDADE


(Se pretender ouvir o video, tem que desligar primeiro o rádio em baixo, obrigado)





Falar do que representou para todos nós esta diva do Fado é como fazer uma revisitação á nossa historia do que fomos do que somos e do que seremos enquanto povo e por isso falar sobre Amália Rodrigues, é algo quase comovente.
Lembrar o que fomos nos últimos cinquenta anos, que mostram um Portugal rural e atrasado, com grandes níveis de analfabetismo, oprimido e angustiado, o próprio nome da canção com a qual se identifica é um pouco isso mesmo um "Fado..." e nessa latente tristeza todos nos podemos rever um pouco, no cantar dos poetas que espelham uma realidade cinzenta, que canta a história de um povo sofredor mas trabalhador e honesto que resistia às adversidades e via os seus filhos partir levando uma mala de cartão na mão em busca de um futuro melhor, buscando liberdade que lhe era negada aqui, que falava de saudades da casa da Mariquinhas onde podia faltar tudo excepto carinho, a porta sempre aberta para quem chega, sobretudo esta franqueza do pão e vinho sobre a mesa, bem própria do nosso povo, do povo que lavava no Rio à mão, com a água pelos joelhos e talhava as tabuas do seu próprio caixão... é por isso que vale bem a pena ler e rever os poemas das suas canções dos seus belos fados, são uma lição de História e é fácil confundir-se a história deste país, com a história de Amália que cantou e encantou todo o mundo, tornando-se a nossa embaixatriz por todos os cantos do mundo. Por falar em Embaixatriz calculo que teremos o "Nosso Fado" elevado à categoria de Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade, também chamado Património Cultural Intangível da Humanidade, pela Unesco.
Hoje quase nada temos a ver com essa realidade, afirmando-nos no mundo como um povo inovador e culto uma realidade bem distinta da que Amália cantou e por falar em cantar, hoje temos já belíssimas vozes como Dulce Pontes, Mariza entre muitas outras e da nova geração promissora de fadistas dando razão ao poeta que diz que "Todos nós temos Amália na vós...", e nos dão alento e fazem atenuar a saudade.
António Gallobar

2 comentários:

  1. Esta musa, foi sem dúvida um marco na nossa história. Será sempre recordada como a grande fadista.
    Um beijo,
    Judite

    ResponderEliminar
  2. Amália estará sempre viva na nossa memória ;)

    ResponderEliminar

Contacto por correio electrónico

Antoniogallobar@sapo.pt